Contaminação ambiental das areias de uma praia do Pantanal norte do Mato Grosso, Brasil.

Autores

Palavras-chave:

Zoonoses, Doenças, Lazer

Resumo

Os Enteroparasitas são responsáveis por grandes problemas na saúde pública, sendo o Brasil um dos principais países afetados. A falta de saneamento básico e limpeza adequada de áreas urbanas, podem elevar o número de infecções e óbitos. Os parasitas podem ser encontrados no solo de determinadas áreas públicas infectando humanos e animais que circulam pelo local. Este estudo possibilita elencar o número de parasitos encontrados na areia próximo ao rio, uma área de lazer frequentada pela população do município de Cáceres. Os parasitos podem causar aos infectados, diarreia, desnutrição, perda de peso, vômitos, desidratação e anemia, entre outros problemas de saúde. O método de Hoffman, foi utilizado para identificação dos parasitas, filtrados com parasito filtro e água destilada, com um intervalo de espera de 30 minutos a 1 hora para decantação, transferência do copo para o tubo e análise no microscópio, sendo colocados em lâmina com lugol. Foram encontrados um total de 79% de Blastocystis, 7% de Cryptosporidium, 7% de Endolimax nana e 7% de Neospora nas 48 amostras coletadas, sendo 6 quadrantes com 8 coletas em cada um. Esses resultados apresentam fator de risco aos frequentadores da praia do Daveron, ambiente de lazer e turismo para a população, sendo necessário medidas de prevenção e higienização do local.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas França de Barros, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, vinculado a Faculdade de Ciências Agrárias e Biológicas. Mestrando em Ciências Ambientais - PPGCA - Cáceres. Atuante em projetos da área de parasitologia animal e humana. Atuo principalmente nos seguintes temas: enteroparasita, saneamento básico, saúde e educação.

Marta Santos Miranda de Araújo, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2016) e mestrado em Ciências Ambientais pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2020). Atuante em projetos da área de parasitologia animal e humana.

Luan Marcelo Leite, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Graduado na área de Ciências Biológicas Licenciatura e Bacharelado pela Universidade do Estado de Mato Grosso;

Tatiane Amorim de Matos, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Doutoranda em Ciências Ambientais (UNEMAT), Docente dos cursos de Medicinas das Faculdades UNEMAT e Fapan, Mestre em Ciências ambientais pela Universidade do estado de Mato Grosso ( 2021), Graduada em Fisioterapia pela Universidade de Cuiabá (UNIC - 2001), Graduada em Ciências Biológica pela Universidade de Mato Grosso (2014). Fisioterapeuta efetiva do centro de especialidade em reabilitação (CER) e fisioterapeuta de Clinica Comunicar, atuando com crianças atípicas.

Antonio Francisco Malheiros, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT (1992) e mestre em Biologia (Ecologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA (2000). Doutor em Parasitologia pelo Programa Biologia da Relação Patógeno-Hospedeiro do Instituto de Ciências Biomédicas da USP (2012). Professor Adjunto da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, vinculado a Faculdade de Ciências Agrárias e Biológicas, atuando nas disciplinas de Parasitologia e Parasitologia Humana, respectivamente, nos cursos de Biologia e Enfermagem. Docente permanente do Programa de Pós-graduação Stricto sensu em Ciências Ambientais da UNEMAT. Tem experiência na área da Parasitologia, atuando principalmente nas ações de vigilância em saúde; eco epidemiologia dos agentes parasitários oriundos de seres humanos, animais domésticos e silvestres; diagnóstico coprológico de enteroparasitas (Helmintos e Protozoários); caracterização molecular de enteroprotozários (Blastocystis spp., Entamoeba spp., Giardia intestinalis entre outros); saúde pública; educação, saúde e ambiente; saúde ambiental; educação e saúde de comunidades tradicionais e povos indígenas.

Publicado

2023-06-21

Edição

Seção

Microbiologia Agrícola e Ambiental